Vem mais por aí!

Cantando o bagualismo, a psicodelia, espalhando a palavra do rock bagual por todos os pagos!  

Mãe, Pai!  

Lembram que quando eu era mais novo eu queria fazer rock?  
Bem, eu consegui. E mais ainda. Estou cantando, bem grave, com a voz, e com os dedos!  
Cantando o amor pelo rock, pelo churrasco, pela cerveja, pela nossa terra!  
Cantando o bagualismo, a psicodelia, espalhando a palavra do rock bagual por todos os pagos!  

Lembram daquele vinil ao vivo do Ozzy com o Tommy Aldridge na bateria que a gente gastou de tanto ouvir?  
Aquele Sepultura tocando incessantemente do meu quarto que às vezes dava pra ouvir na esquina (de tão alto)?  
Aquele Helloween que começava como uma trilha sonora e descambava numa sonzera que parecia um trem desgovernado de tão intenso e insano (daquela camiseta da bruxa que eu usei até rasgar)?  
Aquela música do Deep Purple com o Coverdale que o riff era tão bom que se repetia uma dúzia de vezes na música, e jamais enjoava!  
E daquela música do Scorpions cujo assobio volta e meia grudava na cabeça e não saía de jeito nenhum?  

Bem, isso tudo se fundiu.  

Leo Bacchi  Baixista do Cartel da Cevada

Tocamos em Santa Catarina com o Sepultura no aniversário de 15 anos do maior festival de metal do sul do país!  
Tocamos no Gigantinho com o Helloween, com o Coverdale, com o Tommy Aldridge, com os Scorpions!  

Aliás, gravamos um DVD no Teatro Renascença cheio!  

E no mesmo teatro, cercados por Borghettis, Dorfmanns e Fagundes, participamos do Premio Açorianos, com nosso disco Cartélico vol. I indicado em todas as categorias!  

Leo Bacchi  Baixista do Cartel da Cevada

Falamos em rádios, saímos em jornais, na internet, e em programas de TV!  
Pessoas me pararam na rua semana passada, pra dizer que estamos fazendo um bom trabalho, que se sentiram orgulhosos de serem gaúchos e terem sido representados pela gente nesse festival, junto a esses gigantes do rock mundial \,,/  

Pai, mãe. Não sei se foi do jeito que vocês imaginaram que seria.  
Mas fiquem tranquilos. 
Tem um diabo com a gente, mas ele é mega gente boa, todo mundo gosta dele.  
Escapam uns palavrão no meio, mas é no calor da emoção (a gente foi bem educado, não se preocupem), e no meio da sonzera quase ninguém nota =P 

Leo Bacchi  Baixista do Cartel da Cevada

Tem bastante churrasco -e cerveja-, tô bem alimentado.  

E o melhor. Volto sempre pra casa, cada show mais feliz e realizado. E vem mais por aí!  

Amo vocês. Beijo grande e VAMO TIMEEEE !!!  

Leo Bacchi  
Baixista do Cartel da Cevada

1 comment

  • Carmencita Hessel

    Carmencita Hessel Praia da Pipa

    Parabéns Léo teu texto lindo u grana bj

    Parabéns Léo teu texto lindo u grana bj

Add comment